Informações diversas e actuais de interesse a respeito da paróquia de LAGEOSA DO MONDEGO - Celorico da Beira, distrito da Guarda

quarta-feira, novembro 09, 2005

5 de NOVEMBRO: ...passámos por IDANHA-A-VELHA e perto por pôr do sol cheguámos a MONSANTO

Depois de partirmos do Crato já com o estomago cheio passámos por IDANHA-A-VELHA e parámos para visitar a Catedral (infelizmente estava fechada por motivo de obras): "Desta freguesia nunca será tudo dito. A florescente cidade Romana documentada desde o ano 16 A.C. é das povoações mais antigas de Portugal. Falamos de uma verdadeira aldeia Museu, onde lendas e narrativas estão de constante mão dada com a história. Idanha-a-Velha ergue-se onde foi edificada a gloriosa cidade de Egitânia (com milhares de habitantes) e inúmeras vezes invadida e saqueada. Aqui encontramos vestígios que remontam a diversos períodos, como: a Pré-História, Celtas, Classicismo Romano, Suevo, Visigótico, Árabe, Idade Média Portuguesa e construções do período Manuelino. Dos inúmeros percursos arqueológicos possíveis, destacamos a Sé Catedral, primitivamente construída sobre um Templo Paleocristão e posteriormente construída a primeira Catedral Visigótica edificada na Península Ibérica. No seu interior, podemos observar a maior colecção de epigrafia Romana da Europa, alguma vez encontrada num só lugar. Toda esta freguesia merece uma visita atenta, pois espreitam lições de história em todos os sentidos que o nosso olhar se debruce".
Chegámos finalmente a MONSANTO: "Terra de rara beleza, onde o granito e a força humana desempenham o papel principal, "Monte Santo" é o carismático baluarte da fronteira do Erges, tão valoroso que se dizia que "Quem conquista Monsanto, conquista o mundo". Do seu passado prevalecem curiosas lendas e narrativas ligadas a invasões e assaltos à povoação. Logo à entrada, a Santa de pedra, dá-nos as boas-vindas à vila. Prosseguimos por um constante vertiginoso ziguezague em que as ruas estreitas deixam-nos antever deslumbrantes obras de arquitectura natural. Relembramos então, Saramago que em visita a Monsanto afirmou "Devemos entender o que há de pedra nas pessoas, descobrir o que das pessoas, descobrir o que das pessoas passou à pedra". Pela sua autenticidade, foi considerada em 1938, a aldeia mais portuguesa de Portugal com a atribuição do galo de prata, cuja réplica os Monsantinos exibem, orgulhosamente, no topo da Torre de Lucano. Actualmente, pelo rigor da conservação e exotismo dos seus recantos merece a designação de aldeia histórica".
Para ainda pudermos ver o pôr do sol, subimos em passo apressado ao Castelo. A vista era magnifica. É verdade que só alguns conseguiram chegar a tempo, mas para quem conseguiu, certamente valeu a pena! Como já era lusco-fusco, regressámos rapidamente ao autocarro. Não sei se foi mais difícil subir (alguns não aguentaram a pedalada!) ou descer (só com ajuda)...
Enfim, um dia bem passado...
Já há quem queira repetir. Ainda bem! Se aliarmos a vontade de ajudar a Igreja a algum passeio e lazer não há mal nenhum...
Já me esquecia, enfim, sempre angariámos 1.270 euros para as obras de restauro da Igreja.

3 comentários:

Idanhense disse...

A informação que aqui põe sobre Idanha-a-Velha é uma mentira pegada, muito propagandeada no site da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova. Perdoam-me Amigos, mas esse tipo de infoemações são absolutamente fantásticas e fantasiosas (Milhares de habitantes, 1ª catedral,etc, etc). Vejam o meu Blog que esclarecerá alguma coisa nos arquivos mais antigos.

Anónimo disse...

Por que nao:)

freefun0616 disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.